A NUTRIÇÃO E A MENTE

ALIMENTOS PARA O PENSAMENTO


Quanto é rápido o seu raciocínio? Quanto equilibrado é o seu estado de humor? Quanto consistente são os seus níveis de energia? Quanto você é feliz? E o que - se qualquer coisa - tudo isto tem a ver com o que voce come? Patrick Holford acha que tem as respostas.

No último ano no Instituto de Optimização Nutricional nós examinamos 22,000 cidadãos Britânicos. Muitos eram habitantes urbanos com idade entre 20 e 30 anos. Nós descobrimos que:

Bem vindos ao século 21. apesar das imensas melhorias nos padrões de vida, o homem moderno não é tanto um macaco nú, mas um macaco despido.

O QUE ESTÁ ANDANDO ERRADO?

A resposta para estes problemas claramente não é uma falta de fármacos, embora isto é frequentemente elogiado como solução. Nos E.U.A. os anti-depressívos, actualmente, são os medicamentos mais vendidos, e na Grã-Bretanha nós consumimos um desconcertante 823 miliões deles a cada ano.

Dois dos anti-depressivos mais frequentemente prescritos são os inibidores selectivos de reabsorvimento da serotonina (SSRIs) Prozac e Seroxat. Um grande número de exames clinicos tem encontrado claras evidencias que estes dois medicamentos causam agitação levando a um potencial agressivo e comportamento suicida num quarto dos pacientes.

Nos E.U.A. houveram 90 acções legais referentes aos dois medicinais, com um recente bem-sucedido querelante que recebeu 6.4 miliões de dolares.

O Dr. David Healy, do departamento de medicina psicologica do Hospital North Wales em Bangor, afirma: “eu estimo que cerca uma pessoa ao dia comete suicidio como um resultado directo da administração do Prozac desde que ele foi introduzido“. Durante anos o Dr. Healy tem pedido à Agencia de Controle de Medicina do governo Britânico de advertir os usuários sobre o potencial das reacções adversas do Seroxat.
Até hoje, estas reacções traduzem na Grã-Bretanha em 1,000 suicidios e 10,000 tentativas de suicidios.

É também difícil interromper o uso dos anti-depressivos SSRI. Existe agora uma considerável evidência que bem 50% daqueles que tentam deixar de usá-lo ficam com os alarmantes efeitos da sua retirada (não administração). Um estudo testando a sua retirada mostrou que bem 85% dos voluntários - pessoas sem nenhum sintoma de depressão - tiveram agitação, sonhos anormais, insônia e outros efeitos adversos.

Ainda piores são os 532 miliões de tranquilizantes e 463 miliões de pilulas para dormir que são ingeridas a cada ano. Elas viciam como a heroina, e a sua dependencia pode ocorrer em duas semanas de uso. Os médicos são especificamente instruidos para não prescrever um suprimento de tranquilizantes e pilulas para dormir para mais de quatro semanas. Contudo uma pesquisa de Mori nos anos 80 mostrou que a 35% das pessoas às quais foram prescritas benzodiazepinas (tranquilizantes menores) os tiveram, não por quatro semanas, mas por mais de quatro meses. A pesquisa estimou que 1,5 milião de pessoas na Grã-Bretanha são viciadas em tranquilizantes.

CRISE DA INFÂNCIA

E que tal nossas crianças, que parecem estar encarando a própria “crise da infancia“? Nos EUA existem hoje 10 miliões de crianças que usam o medicamento chamado Ritalin para a hiperactividade. A Grã-Bretanha está indo na mesma direção, com aproximadamente 300,000 prescrições no último ano. Estruturalmente e farmacologicamente próximo à cocaina, o Ritalin tem um semelhante perfil de dependencia e pode ser ainda mais potente. Os pesquisadores acham que este é escolhido, além da cocaina, nos estudos preferenciais de auto-administração não envolvendo seres humanos. Usando a imagem do cérebro, o Dr. Nora Volkow do laboratório nacional Brookhaven de Upton, New York, mostrou que Ritalin ocupa mais dos transportadores neurais responsáveis para a experiência psicotropa do que a cocaína fumada ou injectada. A única razão pela qual Ritalin não produziu um exército de viciados nas escolas primárias, o Dr. Volkow conclui, é porque leva cerca uma hora para esta forma de pílula aumentar os níveis de dopamina no cérebro. A cocaina fumada ou injectada faz isto em segundos. Existe hoje um crescente relatório de adolescentes (e outros) que abusam de Ritalin cheirando ou injectando-o para obter um efeito mais rápido. Mas não termina aí. O Dra. Joan Baizer, professora de fisiologia e biofísica na Universidade de Buffalo em New york, mostrou como Ritalin (que os médicos consideram ter somente efeitos a curto prazo) pode iniciar mudanças na estrutura e funções cerebrais que permanecem por muito tempo depois que os efeitos terapeuticos dos medicamentos terminaram. Isto pode, às vezes, levar a uma grande susceptibilidade e à dependencia de drogas no futuro.

MEDICAMENTOS CASEIROS

Está cansado? Então ajude você mesmo com a cafeina, açúcar ou um cigarro. Na Grã-Bretanha se consume 1,5 biliões de bebidas cafeinadas por semana, incluindo chás, café e colas. Nós comemos 6 miliões de kg de açúcar e 2 miliões de kg de chocolate a cada semana. Ao mesmo tempo fumamos também 1,5 biliões de cigarros. Ansiosos ou depressos? Então tome um drink. Nós consumimos 120 miliões de bebidas alcoolicas por semana, e fumamos 10 miliões de cigarros de cannabis.

Compreendemos pouco o quanto que estas substâncias esgotam o cérebro. A cafeína, por exemplo, deprime a melatonina (a substancia quimica do cérebro que indúz ao sono) por mais de 12 horas. Qualquer coisa mais que uma xícara de café ao dia é bastante para aumentar o stress e piorar o desempenho. E o alcool leva para fora do corpo todas as conhecidas substancias nutrientes. Algo mais que um pequeno copo de vinho ou meia garrafa de cerveja ao dia faz muito mal - especialmente, aumentando o risco de cancer da mama, para as mulheres.

DORES EVOLUCIONÁRIAS


Estes são tempos excepcionalmente difíceis de tempos para o homo sapiens. Nossas mentes e corpos foram formados em milhões de anos de evolução. Leva muito tempo para adaptar.

Não inventamos somente uns 10 miliões de novos produtos quimicos (milhares dos que são adicionados em nossos alimentos, são encontrados em normais produtos para a casa, estão na água que bebemos e no ar que respiramos), mas nosso ambiente psicológico tem mudado também muito rapidamente. Os conceitos de quem nós somos, com quem nós estamos e o que fazemos. As memórias do tempo e lugares. Os pensamentos e sentimentos. Tudo isto compõem a fabrica de nosso mundo psicológico. Você não pode vê-lo ou tocá-lo, mas não é menos real. Você quer falar a um amigo? Pegue o seu telefone celular. Você quer mandar uma carta? Escreva uma e-mail e receba uma resposta em 10 minutos. Você quer ir a algum lugar? Salte dentro de um avião. Nós não vivemos mais em povoados ou cidades; nós vivemos no mundo. Cada cultura é exposta às outras culturas.

Esta cruzada cultural coloca inumeráveis tensões em nós. Apertando o tempo e espaço não nos está fazendo felizes.

UMA EPIDEMIA DE DOENÇAS MENTAIS

Alguns de nós estão despertando para este desafio, mas muitos de nós estão combatendo para continuar em pé e estão vivendo com cansaço, ansiedade, stress e problemas com o sono. Tantas pessoas estão sofrendo de problemas com a saúde mental que varía da desordem deficitária da atenção ao mal de Alzheimer, da depressão à esquizofrenia.

De facto, em todas as partes, teve um aumento massivo em incidência de problemas com a saúde mental - especialmente entre pessoas jóvens. Suicidios, violencia e depressão é tudo em aumento. Segundo a Organização Mundial da Saúde, problemas com a saúde mental estão tornando rapidamente o problema número um do século 21, com uma a cada 10 pessoas sofrendo a cada instante e uma em cada quatro sofrendo uma vez na vida.

Qualquer pessoa inteligente pode reconhecer que, junto com nosso ambiente, nossas dietas também mudaram radicalmente nos últimos 100 anos. Então você considera que o corpo e o cérebro são feitos inteiramente de moleculas derivadas dos alimentos, ar e água, e que moléculas simples como o alcool podem fundalmentamente afectar o cérebro, não é que aquelas mudanças na dieta e no ambiente têm alguns efeitos na nossa saúde mental? A evidência está aí se voce procura. Você pode mudar como você pensa e sente pela mudança do que voce põe na sua boca. Problemas com a saúde mental crescendo com essa velocidade, nós necessitamos de um novo modo de pensar sobre o estado de nossas mentes.

É como Marcel Proust disse: “O verdadeiro acto de descobrir consiste, não em encontrar novas terras, mas em ver com novos olhos.“ Nós necessitamos acordar para o facto que mudanças na nutrição e desequilibrios quimicos provavelmente são a base para a maioria dos problemas com a saúde mental.

Você não pode mandar embora com a psicoanalise as deficiências de gorduras essenciais, minerais e outros nutrientes chave do cérebro. Devemos despertar para o facto que a quimica do corpo - e isto quer dizer o que comemos - afecta nossa mente e que isto pode transformar o que voce pensa e sente.

NUTRIÇÃO OPTIMAL PARA A MENTE

A maioria das pessoas que queixam de estarem sempre cansadas comem açúcar e carbohidratos refinados e são viciadas a estimulantes como chá, café, bebidas cafeinadas ou cigarros. Esta é uma receita para um disastre. Tais dietas são também normalmente baixas em substancias energéticas tais como vitaminas B e C e o mineral Cromo

A afirmação “Você recebe todas as vitaminas que voce precisa numa dieta bem equilibrada“ é uma grandíssima mentira na nutrição actual. A maioria de nós cái numa via escassa dos nutrientes diários básicos recomendados (RDA) dos níveis de vitaminas e minerais. Além do mais, o nível da RDA jamais leva em conta aquilo que voce precisa para estar feliz e alerta no que se refere ao stress do século 21.

Muitas pessoas deprimidas, por exemplo, são deficientes do amino-acido triptofano, o qual é necessário para produzir a serotonina que controla o estado de humor. As mulheres são especialmente propensas a isto. Pesquisadores do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, descobriram que quando pegam pacientes deprimidos que são recuperados e os priva do triptofano, a depressão retorna. Mulheres com uma história de depressão foram divididas em dois grupos e administrada uma dieta exluindo ou incluindo o triptofano sob a condição de duplo-cego (isto é, nem os pacientes nem o pesquisador sabe quem recebeu tal dieta).

No fim da experiência, dez das mulheres da dieta SEM o triptofano eram significantemente deprimidas; nenhuma das mulheres que fizeram a dieta COM o triptofano tiveram algum problema. Quando era dado o triptofano, às mulheres que faziam parte do grupo que não o recebia, suas depressões desapareciam.

Dando aos pacientes 200 mg de suplementos do 5-HTP (5-hidroxitriptofano é um aminoácido com o qual o cérebro pode produzir directamente serotonina suficiente) é muito mais efectivo. Isto foi mostrado, em cinco exames controlados, para melhorar os fármacos anti-depressivos SSRI e isto com pouquíssimos efeitos colaterais.

O suplemento 5-HTP é frequentemente uma grande ajuda para aqueles que tem dificuldade para adormecer ou para quem se desperta muito cedo. Muitas destas pessoas são também deficientes de magnésio, que acalma a mente e relaxa o corpo. Comendo mais verduras (especialmente verduras de coloração verde escuras, frondosas) e todas as frutas, nozes e sementes que fornecem magnésio. Eu recomendo ainda a suplementação de 300 mg de magnésio à noite se voce tem dificuldade de relaxar.

BEBIDAS DESMETILADAS

De fundamental importancia, especialmente naquelas pessoas com severa depressão e esquizofrenia, são os “metil motores.“ O cérebro transforma uma substancia quimica (tal como adrenalina) noutra (tal como noradrenalina) juntando e mandando embora uns componentes quimicos chamados “grupos metil“. Este processo é conhecido como metilação.

Existe agora uma evidênia esmagadora que muitas pessoas com severos problemas da saúde mental tem problemas de metilação. A solução é um coquetel de vitaminas que controla todas as enzimas que provocam a metilação.

Este coquetel inclui as vitaminas B3, B6, B12 e ácido fólico, também minerais como zinco e magnésio. Por sí sós, estes nutrientes são eficientes para combater grandes depressões e esquizofrenia. Em combinação eles podem, como tenho visto eu mesmo, fazer os chamados esquizofrênicos tornarem lúcidos dentro de alguns dias.

Possivelmente mais importante de tudo para a saúde mental, entretanto, são as gorduras essenciais - especialmente as gorduras omega-3. Suplementos com óleo de peixe, uma rica fonte de gorduras omega-3 EPA e DHA, tem provado ajudar a dislexia, hiperactividade, depressão, esquizofrenia, mal de Alzheimer e desordem bipolar. De facto, um recente estudo publicado no The American Journal of Psychiatry confirmou que pacientes que já usam uma medicação anti-depressiva e que sentem haver procunciados sintomas de depressão experimentam importantes melhorias num curto período de três semanas quando dado diariamente suplementos de gorduras omega-3. Os óleos de peixe eram mais eficientes que a medicação farmacológica.

Então, por que a medicina tradicional ignora tudo isto? Primeiro, apesar de todos os avanços na ciência nutricional, um médico normal preparado para ser um clínico geral recebe um total de somente seis horas de instrução nutricional. Isto é bastante apenas para explorar os conceitos de base, nunca chegando a aprender como identificar e corrigir os desequilíbrios nutricionais que afectam a saúde mental.

Naturalmente, atrás desta atróz falta de educação existe a falta de lucro. Os nutrientes, porque eles não podem ser patenteados, não são lucratívos. Por isso, nenhuma companhia farmaceutica é interessada em pesquisar ou promover os benefícios da nutrição.

A maioria dos grandes estudos em nutrição que são levados a comparar nutrientes com os medicamentos, são financiados pelas companhias farmaceuticas, são projetos errados e terminam mostrando, errôneamente, que os medicamentos funcionam melhor do que a nutrição.

Na realidade, a combinação de uma nutrição optimal (a qual se entende dieta e suplementos dietéticos juntos) e psicoterapia funcionam maravilhosamente para uma grande variedade de problemas com a saúde mental - da depressão à esquisofrenia. Isto funciona muito melhor que os medicinais. Além do mais, a maioria dos psiquiatras com os quais eu trabalho acham que enquanto os medicamentos podem ser um salva-vidas a curto prazo eles tornam-se desnecessários com o correcta combinação de nutrientes e apoio psicológico.

ATINGINDO O NOSSO POTENCIAL : A Evidência

A maioria de nós não está alcançando nosso pleno potencial para a saúde mental, felicidade, vigilância e clareza porque nós não estamos atingindo uma nutrição optimal para a mente.

Considere os seguintes experimentos: